Profissionais com capacidade de gestão são os mais disputados no mercado de Engenharia Civil

Notícia

 
Profissionais com capacidade de gestão são os mais disputados no mercado de Engenharia Civil
01/06/2016

Segundo especialistas, a tendência do momento são projetos racionalizados: menor custo e maior qualidade

 

Depois do crescimento da construção civil, há cerca de 4 anos, o mercado passa por uma desaceleração, principalmente por causa da recessão econômica. Nesse cenário, as empresas buscam soluções para enfrentar as turbulências. Entre as práticas necessárias aos profissionais da Engenharia Civil, o uso da tecnologia tem se destacado, é o que aponta o Boletim de Tendência da Construção Civil, estudo realizado em janeiro de 2016 pelo Sebrae Inteligência Setorial.

Para acompanhar as mudanças, os profissionais devem se manter capacitados tanto em aspectos técnicos, quanto comportamentais. De acordo com o guia salarial da Robert Health, profissionais eficientes e que apresentem melhores resultados em cargos de gestão são os mais disputados.

Segundo Flávio Sohler, coordenador do MBA Projeto, Execução e Desempenho de Estruturas e Fundações do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), essa demanda existe por causa da grande necessidade da formação de um capital intelectual especial nas empresas, o qual passa pela qualificação sobre novas técnicas e novas tendências de mercado. “Não adianta mais ter aquela grande prancheta que antigamente você usava. Hoje, você precisa de grandes ferramentas que vão te trazer uma produtividade melhor e maior nesse momento em que as pessoas precisam enxugar custos e aumentar os resultados”, explica.

 

Características importantes

Flávio destaca que o profissional precisa ser completo: ter capacidade de gerenciamento, capacidade técnica e de análise de todas as coisas em conjunto. “Essa capacitação, nesse momento, é fundamental para você aproveitar as grandes oportunidades do mercado, porque só as pessoas que estiverem preparadas realmente vão conseguir alcançar os seus objetivos”, explica.

Acompanhar o advento de grandes softwares de dimensionamento estrutural também é importante, pois, segundo o coordenador do MBA, essas tendências tecnológicas são o que aumentam a produtividade no mercado da engenharia civil e permitem uma maior compatibilidade entre projetos de arquitetura e projetos estruturais.

 

Foco na eficiência

O também coordenador da especialização do IPOG, Sérgio Botassi, lembra que no período em que o mercado da construção civil estava aquecido, o foco era no atendimento de prazo. “A preocupação antes era com o tempo e não com o custo. Podia até custar mais caro, mas tinha que ser rápido. Hoje não. A tendência mudou e a preocupação agora é com o custo”, destaca.

Segundo ele, neste momento mais acirrado, a situação tende a se inverter com projetos focados na eficiência, soluções mais racionalizadas, com materiais melhor aproveitados e que ainda assim tenham o desempenho necessário. “A tendência da construção civil é pensar na obra desde a sua concepção até o final da vida útil da edificação ainda no projeto. Esse grande desafio exige do profissional maior conhecimento para que se sinta seguro a projetar pensando na edificação como um todo”, pontua Sérgio Botassi.

 

Atendendo a demanda

O MBA Projeto, Execução e Desempenho de Estruturas e Fundações do IPOG visa atender exatamente esta demanda dos profissionais do ramo estrutural. A proposta é capacitá-los para entender o projeto de forma ampla, estando atentos aos avanços tecnológicos e desenvolvendo habilidades de gerenciamento, capacidade técnica e de análise. Entendendo o projeto não somente para o atendimento de normas e padrões, mas de forma que a construção aconteça de maneira racional e que facilite também as outras etapas ao longo da vida útil da edificação.

Para mais informações, entre em contato pelo (62) 3945-5050/ (62) 8227-9939 ou pelo e-mail leandro.moura@ipog.edu.br

 

 

Voltar

Junte-se a mais de 100.000 estudantes do IPOG agora