O que se espera de um ‘engenheiro do futuro’?

Notícia

O que se espera de um ‘engenheiro do futuro’?
05/07/2016

Workshop realizado no IPOG Goiânia alerta sobre a importância do profissional de engenharia se tornar especialista

Muito se fala sobre o futuro e sobre como estar preparado para quando ele chegar, mas poucos se recordam que é agora o momento exato de fazer a diferença, de construir a ponte para chegar até lá. No dia 23 de junho, em Goiânia (GO), o Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) realizou o workshop “O Engenheiro do Futuro” e reuniu alunos e profissionais da engenharia para falar sobre as novas tendências e possibilidades da área.
O workshop foi dividido em duas etapas e conduzido pelo Mestre em engenharia e professor do IPOG Carlos de Macêdo, e pela coach especialista em gestão de pessoas e carreira e também professora do Instituto, Carmen Silvia. 

O Que Se Espera De Um ‘engenheiro Do Futuro’?

Entre as questões levantadas por Carlos, houve o alerta para que os novos profissionais e estudantes da área se mantenham atualizados e se dediquem a buscar novos conhecimentos para atender as demandas do mercado de trabalho. De acordo com o Mestre, muito se mudou na carreira de um engenheiro nos últimos trinta anos. Se antes, ao se formar, o engenheiro precisava saber de tudo um pouco, hoje o segredo é se especializar. “O engenheiro precisa perder um pouco do medo de se tornar especialista, de ter conhecimentos específicos em uma determinada área de domínio, pois hoje a engenharia exige isso. Mas é óbvio, também, que não adianta ser um especialista ao extremo em determinado assunto e não ter uma formação mais global, mais holística”, explica Carlos de Macêdo. 

O Que Se Espera De Um ‘engenheiro Do Futuro’?

Já a coach especializada em gestão de pessoas abordou a profissionalização e o desenvolvimento da liderança dentro de negócios da engenharia. “Esse era um papel que antes nem se cogitava na formação de um engenheiro e, hoje, saber desenvolver pessoas, construir uma equipe de alta performance e baixa rotatividade é essencial para o sucesso do profissional”, exemplifica Carmen Silvia. 

Voltar

Junte-se a mais de 100.000 estudantes do IPOG agora