Novo olhar para o colaborador faz com que empresas registrem mais lucros

Notícia

 
Novo olhar para o colaborador faz com que empresas registrem mais lucros
22/07/2016

Aquelas que investem no bem-estar do profissional crescem em média 7% a mais que as demais. No Brasil, o crescimento é ainda maior: 11%.

Quem não se lembra da época da escola, nas aulas de matemática em que o professor explicava as regras dos sinais? “+ com + é igual a +”. Quem pensou que isso não faria diferença na vida, se surpreende com o quanto essa regrinha básica muda a vida das empresas e dos profissionais. Isso porque nunca se falou tanto em valorização profissional como nos dias atuais. Mas não é apenas a valorização financeira, subindo cargos e salários como forma de estímulo ao colaborador. Agora, as empresas estão entendendo que o profissional precisa de mais: + valorização, + compreensão e + estímulo. E, com tudo isso, ele também passa a produzir muito mais. Viu como a regra “+ com + é igual a +” é perfeitamente aplicada? “Antes, o colaborador era visto como uma despesa. Hoje, não. Felicidade no trabalho gera lucros. As empresas que investem no bem-estar do profissional também estão investindo em produtividade”, explica Poliana Landin, coordenadora da Especialização em Avaliação Psicológica e do MBA Executivo em Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG).
 

Os números comprovam a eficácia do novo olhar ao colaborador: as empresas que adquirem essa nova metodologia crescem 7% a mais que as demais. No Brasil, o número ainda é maior: 11%. “Ainda que o discurso de liderança inicialmente tenha que ser financeiro, o principal foco é mostrar aos demais colaboradores os resultados obtidos com essa mudança”, pontua Landin.
 

O atual cenário de instabilidade financeira é o momento ideal para que os líderes entendam a importância do melhor tratamento ao profissional. “As empresas estão passando por um momento de liderar com uma redução no quadro de colaboradores. Os que permaneceram, estão tendo de trabalhar para produzir a mesma quantidade. Se a pessoa olha diferente para o colaborador e vê qual a potencialidade dele, maiores são as chances de que ele produza mais, se engaje, compre a ideia da empresa e transforme isso em resultado”, aborda a especialista.

Resultados rápidos

Poliana Landin destaca ainda que os resultados rápidos são o que mais têm disseminado a procura por entender e praticar as técnicas que envolvem o universo da valorização do profissional, enquanto indivíduo com necessidades. “Quando a empresa começa a investir nessa forma de perceber o colaborador, o resultado é muito rápido, até porque estamos falando também de emoções. É uma forma de lidar com o colaborador que vai fazer com que ele se sinta melhor e no lugar certo, de acordo com as competências dele”.
 

Quer saber mais como esse novo olhar ao profissional muda a vida e a rotina das empresas? Se especialize com o MBA Executivo em Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG). Consulte o site www.ipog.edu.br e tenha mais informações.

 

Voltar

Junte-se a mais de 100.000 estudantes do IPOG agora