Desperdício da verba pública também se deve à falta de qualificação profissional, afirma especialista

Notícia

 
Desperdício da verba pública também se deve à falta de qualificação profissional, afirma especialista
09/03/2016

Na área da educação, pelo menos 40% do dinheiro não gera resultados esperados. Problema seria a má gestão e não a falta de investimento 

Uma recente reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou que quase dois anos depois da Copa do Mundo de 2014, muitos projetos ainda não foram entregues à população, sendo que alguns deles foram até mesmo abandonados. A reportagem revela o desperdício da verba pública, um problema que, segundo especialistas, poderia ser evitado se houvesse, entre outras coisas, qualificação profissional por parte dos governantes. 

Para o professor Edgar Madruga, coordenador do MBA em Administração e Contabilidade Pública do Instituto de Pós-Graduação (IPOG), faltam na rede pública profissionais que saibam aproveitar os recursos de forma mais assertiva. “Pense no seguinte cenário: uma carência da sociedade por serviços de qualidade, o governo disponibiliza recursos para tal, mas esses recursos são perdidos por falta de gente qualificada para administrá-los”, alerta.

Um exemplo disso pode ser observado na área da Educação. Um estudo feito por analistas de finanças e controle da Secretaria do Tesouro Nacional apontou que 40% da verba destinada pelas prefeituras, em todo o Brasil, para o ensino fundamental, é desperdiçada.

Para evitar esse desperdício, que só gera prejuízos, o professor Edgar sugere: “Os profissionais que lidam com a administração pública precisam ser qualificados, precisam saber apresentar projetos adequados, conforme as regras de serviço público, e geri-los bem”.

Por isso, o MBA do IPOG tem sido procurado por pessoas que já trabalham ou querem entrar no ramo. O curso de especialização é destinado a profissionais que atuam diretamente nos órgãos públicos, àqueles que prestam serviço ou que querem fazer carreira na área pública.

Módulos inovadores

Entre os módulos ministrados no MBA, está o de Controle Patrimonial, que, segundo Madruga, é um assunto raro de ser encontrado nos cursos da área, por isso é um diferencial da especialização. Além dele, os alunos terão acesso a assuntos inovadores, como o “E-social”, que é a folha de pagamento que tem impactado os órgãos públicos brasileiros nos últimos anos.

O MBA se destaca também pelo quadro de professores. “Buscamos os melhores profissionais em questão de conteúdo e vivência de mercado e montamos um quadro com professores que são referências nacionais”, explica Madruga. 

Voltar

Junte-se a mais de 100.000 estudantes do IPOG agora